Transtorno do Estresse Pós-Traumático: o que é. - Estela Psicóloga

Especialista em Terapia Comportamental e Cognitiva (USP-HU)

Especialista em Terapia de Casal e Família (Teoria Junguiana)

Especialista em Teoria Junguiana (Instituto Sedes Sapientiae - SP

Mestre Pela PUC-SP

Especialista em Constelações Familiares e Soluções Sistemicas (Instituto KOZINER - SP)
Psico. Estela - Psicóloga Clínica - Mestre/PUC-SP
Ir para o conteúdo

Transtorno do Estresse Pós-Traumático: o que é.

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Transtorno do Estresse Pós-Traumático: o que é.

 

Transtorno do Estresse Pós-Traumático (TEPT).

 
O transtorno de estresse pós-traumático (TEPT), recebe também outras denominações técnicas, as quais são: Perturbação de Stress Pós-Traumático (PSPT), Estado de Stress Pós-Traumático ou ainda Síndrome Pós-Traumática.
 
Caracteriza-se por ser um transtorno psicológico que ocorre em resposta a uma situação ou evento estressante. Esses eventos podem ser de curta ou de longa duração, de natureza extremamente ameaçadora ou catastrófica para o sujeito que a sofre.
TEPT
Desenvolvimento do TEPT.

Este transtorno pode ou não se desenvolver em uma pessoa que tenha sido exposta a um acontecimento traumático por definição. Ele será mais ou menos contundente, pois dependerá do grau de vulnerabilidade e resiliência que o indivíduo possua. Entendemos por resiliência, a capacidade que um indivíduo apresenta, após momento (s) de adversidade (s), conseguindo se adaptar ou evoluir positivamente frente à situação.
Síndrome pós-traumática
Fatores que contribuem para o desenvolvimento do TEPT:

  • A extensão em que o evento traumático afetou a vida íntima e pessoal do afetado;
  • A duração do evento;
  • Tendência orgânica ao desenvolvimento de transtornos de humor e de ansiedade;
  • Inexperiência/despreparo para lidar com o evento;
  • Múltiplas experiências traumáticas;
  • Experiência traumática causada por conhecidos;
  • Pouco ou nenhum apoio social após o episódio.
  • Pouco ou nenhum apoio funcional após a vivência da experiência traumática.

 Sintomas do TEPT:
 
A sintomatologia do TEPT pode se manifestar em qualquer faixa de idade e levar muito tempo para aparecer. Os sintomas costumam ser agrupados para melhor entendimento didático, em três categorias:
 
  • Reexperiência traumática. São os pensamentos recorrentes e intrusivos que remetem à lembrança do trauma, flashbacks, pesadelos, etc.;
  • Esquiva e isolamento social. O sujeito foge de situações, contatos e atividades que possam reavivar as lembranças dolorosas do trauma;
Violência no TEPT.
  • Hiperexcitabilidade psíquica e psicomotora. O indivíduo apresenta modificações físicas e psicológicas em suas condições de normalidade tais como taquicardia, sudorese, tonturas, dor de cabeça, distúrbios do sono, dificuldade de concentração, irritabilidade, hipervigilância, etc.

Paralela e concomitantemente, poderão os (as) pacientes dessa síndrome apresentar outros sintomas ou transtornos importantes tais como:

  • Distúrbios do humor, especialmente depressão maior;
  • Transtornos de ansiedade;
  • Abuso/dependência de substâncias psicoativas, especialmente alcoolismo;
  • Transtorno obsessivo-compulsivo;
  • Transtornos somatoformes (doenças que persistem apesar dos transtornos físicos presentes não explicarem nem a natureza e extensão dos sintomas, nem o sofrimento e as preocupações do sujeito. Está associado à busca persistente de assistência médica e de familiares e amigos);
  • Transtornos dissociativos (perda de habilidades táteis, psíquicas e neurais, como a memória, capacidades motoras e até personalidade),
  • Transtorno de personalidade (se caracteriza por padrões de interação interpessoais tão desviantes da norma, que o desempenho do indivíduo tanto na área profissional como em sua vida privada pode ficar comprometido).
Diagnóstico do TEPT.

Característica diferencial do diagnóstico de TEPT: o fator “tempo” é importante para o correto diagnóstico TEPT. Por recomendações da OMS (Organização mundial da saúde), este transtorno não pode ser diagnosticado no primeiro mês do evento traumático, pois neste caso o sujeito em questão está sobre o diagnóstico de uma reação aguda ao estresse (CID-10 F43.0), e nem depois de dois anos após o evento, quando passa a ser classificado como modificações duradouras da personalidade.

Critérios necessários para fazer o diagnóstico:

  • Existência de um evento traumático claramente reconhecível como um atentado à integridade física, própria ou alheia, que haja sido experimentado direta ou indiretamente pela pessoa afetada e que lhe provoque temor, angústia ou horror.
  • Reexperimentarão persistente do evento em uma (ou mais) das seguintes maneiras: Pensamentos recorrentes, aversivos e intrusivos (flashback); pesadelos relacionados ao evento e comportamentos desencadeados por essas memórias.
  • A insensibilidade afetiva, identificável por: diminuição expressiva no interesse em realizar atividades comuns ou significativas, especialmente se tem alguma relação com o evento traumático; sensação de distanciamento em relação às outras pessoas; diminuição da afetividade e pessimismo quanto ao próprio futuro.
Violência Sexual
  • Hiperatividade psicomotora: hipervigilância; distúrbios do sono; dificuldade para concentrar-se; susto exagerado e irritabilidade.

Para ser considerado um transtorno psicológico essa perturbação (assim como são os outros transtornos psíquicos), deve causar sofrimento clinicamente significativo ou prejuízo no funcionamento social ou ocupacional ou em outras áreas importantes da vida do indivíduo.

Diagnóstico do TEPT em crianças:

As crianças são efetivamente, mais vulneráveis aos eventos traumáticos. Por terem menor experiência vivencial, e também por estarem com os seus recursos de defesa e reação em formação além de uma pequena base de informação, elas são mais passiveis de traumas e estão mais expostas aos desastres e abusos.

Possíveis sintomas em crianças:

  • Comportamento desorganizado ou agitado;
  • Jogos repetitivos, com expressão de temas ou aspectos do trauma;
  • Reencenação específica do trauma;
  • Sonhos amedrontadores sem um conteúdo identificável.
Tratamento do TEPT:

Os objetivos do tratamento do TEPT:
  • Diminuir os sintomas;
  • Prevenir complicações;
  • Melhorar desempenho na escola e/u trabalho;
  • Melhorar relacionamentos sociais e familiares;
  • Tratar transtornos associados (como depressão e alcoolismo).

O tratamento preferencial é a Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) por seis meses a um ano.  Pode ser eventualmente complementada, em algumas ocasiões, com  a administração de alguns fármacos ansiolíticos e/ou antidepressivos concomitantes.


Marque uma consulta, terei o maior prazer em ouví-lo (a) e esclarecer as dúvidas pertinentes ao seu processo de cura terapeutica.


Você pode achar interessante outras informações sobre:


MSc. Estela Noronha
Psicóloga Clínica
CRP: 06/52562-9
Rua Frei Caneca, 1047 - Cj. 618 - Consolação - CEP: 01307-909 - Fone: 0xx 11 997151956- A 30 metros da Av. Paulista! Estacionamento Fácil.
Realização: Market-Ing / Real Marketing Serviço & Comércio
Realização: Market-Ing / Real Marketing Serviço & Comércio
Realização: Market-Ing / Real Marketing, Serviço & Comércio
Voltar para o conteúdo